Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Apresentados

Um natal de pastelaria

As pastelarias são infernos de Natal. Pessoas encharcadas, agitando guarda-chuvas a pingar, atropelam-se para terem o melhor pão-de-ló, o bolo-rei com mais frutas cristalizadas, empilham caixas dentro de sacos de plástico num esforço para que os doces cheguem secos e intactos à mesa de Consoada.
Esta pastelaria não era muito diferente, com as montras derreadas de bolos, e com mesas adicionais montadas para as coroas de massa cozida que já não cabiam nos lugares do costume.
Mas ao balcão a mole de clientes era maior, mais impaciente do que o costume, inquietada por relógios, horários, compromissos e tarefas, entreolhando-se e lançando expressões acusatórias às empregadas.
Estas, quase indiferentes, estavam paradas a escutar um homem. Era um homem já de idade, cujos membros ainda guardavam vigores insuspeitos. O homem não comprava nada. Falava. Falava. Falava de comida, de bolos, de bebida, de saúde, de esperanças para o próximo ano. Das pequenas coisas que só interessam ao desespero …

Mensagens mais recentes

Divisão de Honra, em França

Worst Of

Uma história de amor

O bolo do futuro

Modos de habitar num depósito a prazo.

Alecrim vs. Manjerona